O JIU-JITSU E A MÍDIA – DUAS IDÉIAS OPOSTAS

 

O JIU-JITSU E A MÍDIA pode ser tema de uma monografia na área de educação física.

Levando-se em consideração que a arte marcial chinesa, assim com o Jiu Jitsu, considera a moral como o seu princípio e fundamento e, ainda, pregam que o praticante deva treinar o físico e o espírito, respeitando seu mestre e colegas, além de prestar ajuda a quem precisar, isto é, preocupando-se com as outras pessoas, pergunta-se: por que a mídia critica o Jiu Jitsu? Para responder esta questão, necessário valer-se de algumas considerações históricas.

A INTERPRETAÇÃO DO JIU JITSU COMO ESPORTE VIOLENTO E SEM REGRAS

Enquanto o Jiu Jitsu de expandia dentro do Brasil, o mesmo passou a ser alvo de ataques violentos por parte da mídia. Isso porque, na época, alguns jovens entusiasmados com a moda e as táticas ensinadas no esporte, mas, com nenhum envolvimento com a filosofia deste, passaram a cometer atos de vandalismos em diversos setores da sociedade

Assim, a mídia passou a generalizar, culpando o Jiu Jitsu pela violência em bares e boates, esquecendo que a juventude transviada sempre existiu dentro da sociedade.

Ao contrário do que presencia-se no Brasil, o Jiu Jitsu é uma técnica ensinada em varias academias de países desenvolvidos, como é caso dos Estados Unidos, onde a polícia, os agentes do FBI e os astros de Hollywood treinam o esporte.

De maneira comparada, interessante evidenciar que no Japão, país berço das artes marciais, vários lutadores de Jiu Jitsu são tratados como ídolos. Já nos países da Europa, lutadores brasileiros são importados para treinar atletas locais. Entretanto, as conquistas do esporte no Brasil e no exterior são ignoradas pela preconceituosa mídia brasileira.

Cássia (2004) comentando tal realidade, explica que, de maneira absurda, o editor de esportes do jornal O Globo proíbe a publicação de qualquer matéria sobre o Jiu Jitsu, alegando que “não reconhece o Jiu Jitsu como esporte”.

Vicente Junior, lutador de Jiu Jitsu de Alagoas possui nove títulos estaduais, uma medalha de bronze conquistada no Mundial da modalidade em 2004 e medalha de ouro no Mundial Esportivo 2008 realizado em São Paulo, reclama da dificuldade em continuar lutando, devido a falta de patrocínio. Ainda assim, quando procurou um meio de comunicação local para divulgar seu feito, após esta última conquista, foi-lhe inventada a desculpa de que teria de esperar pelo menos um mês, já que o futebol estava sendo divulgado devido a um campeonato disputado na modalidade 1 .

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA SOCIEDADE X A ARTE DO JIU JITSU

A mídia possui o poder de criar imagens de pessoas e produtos, podendo tanto sobreestimas quanto depreciar tais conceitos. Isso porque ela é uma grande formadora de opinião, agindo, em alguns casos, como manipuladora da massa. (THOMPSON, 1995)

Tal fator ocorre uma vez que o jornalismo no Brasil utiliza-se de sensacionalismo e exposição de seus apresentadores, opinando e criticando todas as reportagens, no lugar de apenas informar. Com tal atitude, muitas pessoas acabam por aderir à mesma forma de pensar exposta nas entrelinhas. (THOMPSON, 1995)

Mediante a idéia aqui exposta, cabe verificar a quantidade de pública que dedica seu tempo em frente da TV ou, ainda, assistindo noticiários através da internet, sendo que destes, quantos tem condições de filtrar o que assistem, separando o que é informação e o que lixo ?

Destarte, a abordagem equivocada e pejorativa da mídia para com o Jiu Jitsu dificulta a aceitação e expansão do esporte no Brasil.

Isso dar-se-á devido ao desconhecimento, por parte da mídia, da doutrina aplicada ao Jiu Jitsu, uma vez que relacionam este esporte a brutalidade, parecendo conseguir noticia apenas com as criticas a este esporte do que demonstrando os lutadores que, como já verificado, são muito reconhecidos no exterior.

Infelizmente, muitos acreditam no que é mostrado na televisão, tocado nas emissoras de rádio publicado em jornais e revistas, já que a manipulação acontece de maneira encoberta.

Destarte, ficam claras as dificuldades encontradas pelos profissionais do Jiu Jitsu ao tentarem valorizar seu trabalho, já que professores de academias sérias, que ensinam o esporte arraigado valores fundamentais de sua origem, não conseguem competir com apresentadores de TV que aparecem, semanalmente, cativando o público, como se estes tivessem sempre a razão, ao comentário as noticias.

O poder da indústria, através de seus jornais, filmes e matérias impressas atalha a formação de indivíduos autônomos, capazes de julgar e decidir de maneira conscientemente, sem influência de outrem.

A isso, comentam vários treinadores em diversas matérias lidas para elaboração deste artigo, que com persistência os rapazes que treinam vão conseguir quebrar as barreiras do preconceito e seguir em frente, no caminho de transformar o Jiu- Jitsu no mais praticado esporte brasileiro. Mas, para que isso aconteça, haverá ainda muita crítica por conta da mídia nacional.

Isto posto, vemos que a matéria a O JIU-JITSU, e em particular O JIU-JITSU E A MÍDIA – DUAS IDÉIAS OPOSTAS, pode ser amplamente explorado numa monografia.

 

Clique aqui e leia mais artigos sobre educação.

 

_____________________

1 www.gazetaweb.com.br

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CASSIA, Maria. Janela de vidro: esporte, televisão, educação física. Campinas: Papirus, 2001.

NUZZMAN, Carlos Arthur. A importância do marketing esportivo para o desenvolvimento do esporte. Anais do Seminário INDESP de Marketing Esportivo. Brasília: INDESP, 1996.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1995.

Autor: Trabalhos Monográficos